Você sabe a diferença entre fome física e fome emocional?

fome-fisica-emocional

Você sabe a diferença entre fome física e fome emocional?

Apesar de ser algo bem comum, poucas pessoas sabem a diferença entre as duas sensações.

Em primeiro lugar, é interessante entender a diferença entre a vontade de comer e a necessidade de comer. Por isso, acompanhe este artigo que nós, da RadarFit, produzimos sobre o assunto!

Fome física

A necessidade de comer é associada à fome física. Ela surge de maneira gradual e apresenta sinais como os famosos “roncos na barriga” ou aquele desconforto no estômago que normalmente associamos ao jejum.

Nesse tipo de caso, podemos sentir fraqueza física, tontura e até dor de cabeça se não nos alimentarmos. 

Isso acontece uma vez que o corpo precisa receber energia para realizar suas funções vitais e atividades diárias.

Fome emocional

A fome emocional, por outro lado, é como se fosse o oposto da fome física. Ela não está associada às funções vitais do corpo, mas sim a estados mentais e emocionais de cada pessoa.

Em geral, a fome emocional é baseada em uma vontade muito intensa e repentina de comer um alimento específico. Isso acaba gerando um sentimento de urgência quase incontrolável.

Dessa forma é muito comum que um sentimento de culpa muito grande venha depois de cedermos à fome emocional. Principalmente quando há um exagero em relação à quantidade do alimento, ou quando escolhemos uma opção menos nutritiva e saudável.

Além disso, esse tipo de situação, quando se torna recorrente, pode gerar consequências para o corpo, como aumento do peso e até o surgimento de doenças.

Entre os fatores que podem desencadear a fome emocional podemos citar, por exemplo, o sono inadequado, estresse, sentimentos descontrolados de raiva, tristeza, insegurança, cansaço e dietas muito restritivas ou exageradas.

Como diferenciar fome física e fome emocional?

Uma boa dica para quem quer aprender a diferenciar um tipo de fome da outra é se perguntar se o alimento em questão pode ser substituído. No caso de fome física, por se tratar de uma questão fisiológica, a resposta será sim. Então é mais fácil fazer a troca de um doce por uma fruta, por exemplo. 

No caso da fome emocional, por se tratar de um desejo e de um impulso, a substituição pode ser mais difícil. Nessas situações o recomendado é satisfazer a vontade de uma forma equilibrada e planejada, a fim de que não se desenvolva um episódio de compulsão mais extrema.

Por fim, lembre- se que vontades vêm e vão, portanto é muito importante entender quando se trata de fome física e fome emocional a fim de avaliar a real necessidade de cada desejo para não cair em armadilhas.

Se você desejar receber mais orientações sobre alimentação balanceada e dicas sobre vida saudável você pode contar com o nosso time de especialistas das áreas da nutrição, educação física e saúde.

Acesse nosso site e descubra mais!

Veja também

Solicitar uma demonstração