Gamificação e saúde laboral? Como assim?

gamificacao-melhora-saude-dos-funcionarios

Um dos maiores desafios de qualquer empresa é o de realizar a gestão de pessoas de uma forma eficiente. 

Problemas como falta de engajamento, alta rotatividade de funcionários e baixa produtividade são recorrentes. Contudo, a raiz da questão nem sempre é sobre a remuneração ou outros benefícios financeiros.

A realidade é que existem outros fatores que entram na balança quando colaboradores estão decidindo sobre sua permanência, ou não, em uma determinada empresa.

Conhecendo o seu time

O mais importante antes de implementar qualquer estratégia relacionada aos colaboradores de uma determinada empresa, é conhecer a fundo o que motiva essas pessoas, quais são seus objetivos de longo prazo e o que elas realmente valorizam.

Uma das referências nessa área é a consultoria global Great Place to Work (GPTW), que publicou um estudo que mostra que os principais fatores que fazem um colaborador permanecer, ou não, em uma empresa são: oportunidade de crescimento e qualidade de vida. Apenas depois aparecem alinhamento de valores e remunerações empatadas.

O que é a Gamificação?

É nesse contexto que a gamificação entra. Muito diferente de jogos tradicionais, elas são estratégias, que podem ser aplicadas em um contexto da vida real, com um objetivo específico em mente.

Muito utilizada em treinamentos, atividades educacionais ou atividades de saúde, ela utiliza mecânicas e recursos de jogos para engajar e motivar pessoas e também para facilitar processos de aprendizado.

Existem diferentes visões e formas de abordar a gamificação. Contudo, algumas características são consideradas pilares para esse tipo de estratégia, como por exemplo;

Objetivos 

Essa é a primeira característica dos games e também a linha guia para a criação dos outros elementos. Um jogo precisa ter uma meta bem definida. É ela que orienta os jogadores ao longo de sua jornada e os estimula a manter o foco e a permanecer engajados.

Regras

Todos os jogos devem possuir um conjunto de regras bem definido. São essas regras que direcionam o jogador para o objetivo final e que também mostram para ele de qual forma ele deve caminhar até essa meta, ou seja, quais mecanismos pode utilizar para progredir no game.

Recompensas e feedback

Esse é um elemento que tem como propósito engajar e motivar os players a continuarem jogando. O feedback pode ser positivo, quando por exemplo passamos de nível ou de fase e ganhamos uma recompensa por isso. O feedback pode ser negativo também. Quando um jogador faz a missão de forma errada, ele pode receber um aviso ou penalidade, mostrando que o objetivo não foi realizado.

Aprendizado

Outro ponto essencial para aplicação de estratégias de gamificação em ambientes corporativos e educacionais.

Games, dentro desses cenários, não servem apenas a uma proposta lúdica. Pelo contrário, elas aparecem justamente como uma forma de transformar atividades que são necessárias, e às vezes entediantes, em algo estimulante e engajante.

Dados sobre gamificação e perfil dos jogadores no Brasil

Cada vez mais empresas têm procurado a gamificação como uma estratégia para engajar seus colaboradores, e isso não acontece sem motivo.

De acordo com a Pesquisa Game Brasil de 2022, jogos eletrônicos fazem parte da rotina de 74,5% dos brasileiros. Durante o período de isolamento na pandemia, 41,7% dos entrevistados afirmou que aumentaram a quantidade de horas que passam jogando por dia.

Outra informação interessante que essa pesquisa traz, é sobre a plataforma de preferência dos players. 48,3% dos entrevistados afirmaram que Smartphones são a sua plataforma favorita para games. Um número muito acima de videogames, que alcançou a segunda posição, mas que representa apenas 20% dos players. Isso significa que a plataforma preferida dos consumidores, é uma que é mais acessível e já está na mão da maioria das pessoas.

Gamificação como estratégia corporativa para saúde

No ambiente corporativo, uma das aplicações mais interessantes da gamificação é na forma de programas de saúde e bem-estar.

Esse tipo de solução tem como objetivo engajar os colaboradores em atividades que promovam hábitos saudáveis de maneira divertida e que ofereçam recompensas a cada etapa superada. 

Para isso, são utilizados recursos como estímulos e recompensas para que em cada esforço e em cada etapa, o usuário seja incentivado a continuar dando o melhor em sua jornada.

Os benefícios para o colaborador são óbvios, se engajar na busca de uma vida mais saudável é uma das atitudes mais importantes que alguém pode tomar.

Contudo, os benefícios para a empresa também são muitos. Ao investir em um clima organizacional saudável, e em políticas que colocam as pessoas no centro, a empresa consegue criar uma cultura corporativa forte e uma marca reconhecida tanto pelos clientes quanto pelos melhores talentos do mercado de trabalho, que irão desejar vestir a camisa das empresas que oferecem o melhor ambiente para se trabalhar.

Essa cultura organizacional forte, e ambiente de trabalho saudável, também significa que menos colaboradores irão experimentar casos de estresse e burnout relacionados ao trabalho, e isso leva a uma diminuição da rotatividade de funcionários dentro da empresa.

Por sua vez, reduzindo a rotatividade de colaboradores, temos uma redução do esforço de prospecção, seleção e treinamento de novos talentos, levando a uma economia de recursos e também a um aumento da produtividade nos times.

E-book

Por que promover mais saúde e bem-estar no trabalho?

Baixe agora!
Por que promover mais saúde e bem-estar no trabalho?

Problemática da saúde pública

Vivemos em um tempo de emergência sanitária, no qual a saúde pública está de novo no centro das atenções.

De acordo com um relatório da Organização Mundial da Saúde, até o ano de 2030, cerca de 500 milhões de pessoas irão desenvolver doenças cardíacas, obesidade e outras enfermidades relacionadas à falta de atividades físicas. 

Outro estudo realizado pela Brazil – U.S. Business Council e U.S. Chamber of Commerce, mostra um aumento de doenças crônicas não transmissíveis, como diabetes e câncer e que o prejuízo relacionado a essas enfermidades pode chegar a 8,7% do PIB brasileiro em 2030.

Ao apostar em soluções tecnológicas que contemplem o desenvolvimento de hábitos saudáveis, é possível abordar a problemática da saúde pública no momento em que pode trazer mais benefícios para as pessoas, que é o momento da prevenção e do cuidado, antes de enfermidades surgirem.

O nosso time de especialistas está à disposição para ajudar a sua empresa a elaborar estratégias para gerar engajamento em seus colaboradores, reduzir a rotatividade e turnover de funcionários, bem como caminhos para aumentar a produtividade em seus times. 

Solicite um atendimento personalizado e um de nossos assessores irá entrar em contato.

Veja também

Solicitar uma demonstração